FOME

Sinto fome.

Às vezes queria não ter sentidos... mas penso que esse desejo não consta da lista concedida pela fada madrinha.

Encolho-me para espantar a dor. Já sinto a barriga colada às costas. Ugh! E quando não penso em mais nada do que aqueles bolos da loja do senhor Zé, aparecem uns tipos, vindos do nada, a andar ao meu lado. Ena, são muitos.

"É amigo, pariu a galela foi?"

"Ah, você tem piada! 'tamos a marchar pela fome."

"Curioso"- pensei - parece que de repente ficou muita gente com fome. "Atão e o que vão fazer para matar a fome?"

"Oh amigo não somos nós que temos fome. Nós só queremos ajudar os outros."

"Mas querem ajudar todos?"

"Hoje é p'ra ajudar a Tanzânia"

Os meus pensamentos falam alto e acabo por dizer: "Epá, essa senhora tem sorte".

"A Tanzânia?", "Ah ah ah, não é uma senhora, é um país, homem!"

"Ah... nunca ouvi falar. Onde fica?"

"Fica lá pó estrangeiro. Bom amigo, gostei deste bocadinho mas vou começar a acelerar o passo. Até à vista."

Agora que o tipo me deixou volto a sentir o estomâgo a exigir uma comidinha. Ai... e agora parece que a fome voltou ainda mais esfomeada. Olho à volta. Ah, a mercearia! O senhor Zé está lá dentro. É boa pessoa mas da última vez ficou bravo por me ver a surripiar os bolinhos.

Bom, desta vez tenho de ser mais discreto.

Os tipos continuam a marchar pela fome...

Também eu vou marchar pela fome... ó se vou! Assim que tiver algo apetitoso nos bolsos, nem vou marchar, vou correr!

 

Ecos by Ana

Maio 2007

 

[A propósito da Marcha pela Fome realizada no dia 22 Maio 2011... Desta vez, uma importante fatia do valor arrecadado não vai para a Tanzânia... vai para os Portugueses... Aqui, ou no resto do mundo, o importante é que chegue realmente a quem tem fome!]

Ecos by eremitaurbANA às 17:16 | comentar | favorito